sexta-feira, janeiro 06, 2012

To die or not to die...





Frequentemente as pessoas não entendem porque gostaria de ter filhos... porque gostaria de partilhar todos os dias da minha vida com alguém... porque gostaria de ser banal quando, poucos são os que me vêem como tal.


Passo a explicar:


1- Sou banal!

2- Venho de uma família que mesmo quando alguém morre, como aconteceu hoje, não choramos apenas com a partida, lembramos a cima de tudo a presença e a sua vida.

3- Tenho um imenso coração que não posso partilhar de forma egocêntrica apenas comigo, nem de maneira egoísta, apenas com o outro.


A vida é mais... e a cada morte na minha família (que diga-se tem sido cada vez mais frequente e galopante) mais clara fica a minha visão de que para sermos humanos temos de nos dar... ao outro... aos outros... para que um dia também nos recordem entre choro e riso.

10 comentários:

AC disse...

Não entendo o porquê das pessoas não entenderem, ter filhos é o mais natural dum qualquer percurso de vida, é o óbvio sinal de esperança. Ou será que, no meio de toda esta encruzilhada, nada mais resta que o egoísmo?
Boa música.

Beijo :)

mor disse...

Os que não te entendem é que estão cheios de banalidades.
Querer ter filhos é um chamamento, um acto de amor e partilha, nada banal.
Bjsssss
Mor

Me Hate disse...

AC, o natural para uns não o é para outros... a diferença está no que quer ter filhos... ou se submete à vontade do outro que não quer e aceita ou, segue em frente... Não há nada mais triste do que ter um filho com um parceiro que não deseja a criança...

Para mais a minha condição há muito me ensinou que um filho também não pode ser a continuação de algo, ou de nós mas sim, o renascer da tal esperança não porque queremos ser acompanhados ou termos a tal continuidade genética mas sim, porque é desafio último de uma relação saudável...

E sim, é apenas aí que vemos verdadeiramente o quando egoístas somos ou, deixamos de ser... é complexo ter um filho... mas com a quantidade de "afilhados" que vou tendo a esperança em mim não esmorece...

Um forte abraço! MESMO!

Me Hate disse...

Mor, é interessante que refiras isso, eu também sinto o querer um filho como uma espécie de chamamento mas, o que fazer se estamos com alguém que não sente o tal chamamento?????

É frustrante sabermos que amamos a pessoa que está ao nosso lado, que sabemos ser uma excelente uma pessoa mas, que não sente esse chamamento como nós...

Enfim...

Beijinho apertado.

mor disse...

Me Hate,
Pelos teus comentários percebo bem o teu problema.
Quando era solteira pensava nesse assunto com mais leviandade, se não encontrasse a pessoa ideal teria filhos em produção independente porque queria ter filhos. Ainda bem que encontrei a pessoa certa que talvez não o fosse se não quisesse ter filhos comigo.
Numa situação ideal os filhos têm que ser fruto do amor e vontade de duas pessoas. Tive sorte porque realmente a M. não podia ser mais desejada.
Estás numa encruzilhada,infelizmente, nós mulheres, temos um "prazo de validade" para decidirmos ser mães.
Beijos e boa reflexão.
Mor

Me Hate disse...

Oi... essa reflexão tem vindo a ser feita... inclusivé, pessoas houve que se afastaram da minha vida (enquanto possíveis companheiros) exactamente por isso...

Esta última pessoa custou-me muito, porque a amava profundamente e julguei que era mesmo "the one" mas, a vida continua e no fundo, espero ter um pouco mais de sorte no próximo "encontro"...
senão creio que havendo mais disponibilidade monetária avanço com a tal produção "independente"!

Obrigada pela força e um grande beijinho.

mor disse...

Querida Me Hate,
Tenho muita pena que tenha acabado mas pensa no lado positivo: prescindires de estapa que achas essencial à tua vida não te podia ter feito feliz. Assim és livre de encontrar uma pessoa que te possa fazer ainda mais feliz.
Tenho a certeza que vais encontrar a tua cara metade e que vão acabar por ter muitos sorridentes me hatezinhos.
Bjs e bom fim de semana,
Mor

Me Hate disse...

Ohhh... fizeste-me sorrir que bom! Preferido MeLovezinhos... ;D

E obrigada pela força... por vezes esqueço-me do quanto já vivi na vida e ultrpassei... também isto será mais uma etapa...

Beijinhos. Muitos.

mor disse...

http://salvem-as-bolhas.blogspot.com/2012/02/para-mh.html
Boa sexta-feira!

Me Hate disse...

Lá irei... Beijosssssssssss...