sábado, julho 02, 2011

Há um destino comum...




Sobre o Caminho


Nada


nem o branco fogo do trigo


nem as agulhas cravadas na pupila dos pássaros


te dirão a palavra


Não interrogues


não perguntes


entre a razão e a turbulência da neve


não há diferença


Não colecciones dejectos o teu destino és tu


Despe-te não há outro caminho



Eugénio de Andrade, in "Véspera da Água"

4 comentários:

mor disse...

Muito bonito.
Bjsss

Me Hate disse...

É no que dá ter o tipo de trabalho que tenho... agora com mais tempo, tenho-me dedicado à poesia, à pintura e, sim, confesso, à praia... Ah e aos amigos e família. ;)

Beijinho

mor disse...

Fazes muito bem!!! Já tinha notado a tuia ausência.
Bom VERÃO!
Bjs
Mor

Me Hate disse...

A ausência prendeu-se mais com o excesso de trabalho porque na minha área ou andamos a 1.000 à hora ou então, como acontece agora, andamos a 40... enfim... mas é bom, darem pela nossa ausência ;)

Beijo