segunda-feira, julho 18, 2011

Crush



Era uma vez...


Uma princesa muito feliz. Não tinha príncipe, não tinha filhos, não tinha reino, nem palácio.


Era alvo de inveja de muita "princejada" que estava casada e por isso, tinham de aturar sogros, aguentar birras de filhos, ter paciência de "Jó" para o marido, cuidar do reino e de todos os seus afazeres e, claro, ter o máximo de atenção ao palácio que exigia uma constante vigilância da criadagem e coisas quejandas acabadas em "gem".


"Porra!" - diziam elas quando feliz pela aldeia passava por elas a princesa feliz.


"Que tolas!" - dizia a princesa sempre que cruzavam olhares.


Não se entenda por isso que a princesa nunca tivesse vivido um grande amor.

Viveu!

Mas havia sempre uns dias em que o príncipe não queria trabalhar, outros em que apanhava umas belas "carraspanas" em que não podia trabalhar e, óbvio, uma ou oura mentirola que a princesa lá ia apanhando.


Começava a ficar cansada e certo dia disse-lhe "Ai homem, cansas-me a beleza! E eu ainda tenho muita "estrada" para percorrer! Olha o melhor é ANDOR!"


Pegando na vassoura lá lhe deu duas traulitadas e ele lá se foi. Não sem antes fazer queixa ao alcaide da aldeia que a princesa lhe havia infligido violência doméstica mas, o alcaide, conhecendo bem o "mister" recomendou: "Oh pá ainda foram foi poucas!".


Durante uns tempos, a princesa andou a "bater mal"... estava habituada ao cheiro da aguardente Rochedo pela manhã e do gin Hendricks à noite... tinha acima de tudo saudades, das leituras que faziam nas tardes calmas, dos manjares gourmet que ele lhe preparava com carinho, dos cuidados constantes que tinha sempre que a sentia um pouco mais triste, das viagens, mundos e povos que conheceram e partilharam... Nesses dias: eram Mundo!


Mas a decisão estava tomada e, naquela altura, ainda não existiam os Alcoólicos Anónimos, só mesmo as mesmas tabernas de hoje!

4 comentários:

Pedrasnuas disse...

TEnho de voltar cá...fiquei curiosa...Bom Domingo

Me Hate disse...

A historia continua... só os viajantes é que terminam! ;)

Pedrasnuas disse...

Essa história é verdadeira, não é?! palpita-me que sim...ou estou enganada?....Conheço casos assim...:)

Me Hate disse...

Sim e não... na minha profissão há muitos casos assim, mas tive um amigo que morreu há 2 meses com um problema destes e já havia os A.A. contudo, quando desistimos de nós não A.A. que nos valham... mas, quando abdicamos MESMO de nós, há sempre uma taberna aberta!

Respondi?

Espero que sim ;)