terça-feira, outubro 19, 2010

Fotografia, Poesia e Musica



Sentes, Pensas e Sabes que Pensas e Sentes


Dizes-me: tu és mais alguma cousa

Que uma pedra ou uma planta.

Dizes-me: sentes, pensas e sabes

Que pensas e sentes.

Então as pedras escrevem versos?

Então as plantas têm idéias sobre o mundo?

Sim: há diferença.

Mas não é a diferença que encontras;

Porque o ter consciência não me obriga a ter teorias sobre as cousas:

Só me obriga a ser consciente.

Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei.

Sou diferente.

Não sei o que é mais ou menos.

Ter consciência é mais que ter cor?

Pode ser e pode não ser.

Sei que é diferente apenas.

Ninguém pode provar que é mais que só diferente.

Sei que a pedra é a real, e que a planta existe.

Sei isto porque elas existem.

Sei isto porque os meus sentidos mo mostram.

Sei que sou real também.

Sei isto porque os meus sentidos mo mostram,

Embora com menos clareza que me mostram a pedra e a planta.

Não sei mais nada.

Sim, escrevo versos, e a pedra não escreve versos.

Sim, faço idéias sobre o mundo, e a planta nenhumas.

Mas é que as pedras não são poetas, são pedras;

E as plantas são plantas só, e não pensadores.

Tanto posso dizer que sou superior a elas por isto,

Como que sou inferior.

Mas não digo isso: digo da pedra, "é uma pedra",

Digo da planta, "é uma planta",

Digo de mim, "sou eu".

E não digo mais nada.

Que mais há a dizer?

Alberto Caeiro





Como Thom Yorke... também eu estou a chegar a "casa"... a caminhada foi longa e adivinha-se ainda prolongada mas, "casa"... Estamos na beira de "pensar as mesmas coisas, ao mesmo tempo"... o reencontro connosco é sempre o mais aguardado...

4 comentários:

Paula C. disse...

Olá:)
Assim que comecei a ler o poema percebi logo quem o tinha escrito... Como sabes (acho eu) adoro poesia.
Já tinha saudades de aqui passar:)
Beijocas e bom fim-de-semana

uminuto disse...

muito bom ler Alberto Caeiro
um beijo

Me Hate disse...

Paula :D

Sim, sei que partilhamos este gosto por poesia... Tenho andado a ler mais Al Berto nestes dias do que Pessoa mas, sempre poesia... intercalo com as "Cartas a Lucílio" que é a minha última "obessessão...

O reencontro contigo, ainda que em situação virtual (aqui), foi um sorriso no fim de um dia que se adivinha bom...

Um abraço intenso e um beijo imenso.

Me Hate disse...

Um minuto, já tinha saudades de partilhar estas coisas por aqui... logo que possa irei fazer uma visdita que anda por demais atrasada... ;)