quarta-feira, setembro 08, 2010

Já fui importante... Agora não sei se serei.


Vocês alguma vez viram um tigre ou um lobo da Tasmânia????

Não? É natural... Ele existiu mas, como tantas coisas na vida diária... foi extinto.

O tilacino (Thylacinus cynocephalus), mais conhecido por lobo-da-tasmânia ou tigre-da-tasmânia, foi o maior marsupial carnívoro dos tempos modernos. Nativo da Austrália e Nova Guiné, acredita-se que se tornou extinto no século XX. Foi o último membro do seu género, Thylacinus, ainda que diversas espécies relacionadas tenham sido encontradas em registos fósseis datados do inicio do Mioceno. Portanto o Tilacino sobrevive 23 milhões de anos para morrer desgraçadamente nas mãos humanas... Onde é que eu já li isto?????

Os tilacinos foram extintos da Austrália continental milhares de anos antes da colonização europeia do continente, mas sobreviveram na ilha da Tasmânia junto com diversas espécies endémicas, incluindo o famigerado e muito conhecido: diabo-da-tasmânia.

A caça intensiva encorajada por recompensas e o facto de serem considerados uma ameaça aos rebanhos, são dadas como factores decisivos para a sua extinção, factores que em nada surpreendem dado que, a maioria das espécies tem sido extinta acima de tudo, por estes factores. Contudo, outros factores que também contribuíram estão relacionados com outras situações que vão desde as doenças típicas da espécie, à introdução de cães, "dingos" e à ocupação, cada vez mais extensa, dos humanos no seu habitat.

O último registo visual conhecido ocorreu em 1932 e o último exemplar morreu no Zoológico de Hobart em 7 de Setembro de 1936. Apesar de ser oficialmente classificado como extinto, relatos de encontros com alguns espécies, ainda são reportados... Um pouco à luz do "rapaz" que percorre a profundezas do Lockness...

Como os tigres e lobos do hemisfério norte, dos quais herdou dois dos seus nomes comuns, o tilacino era um predador-alfa da cadeia alimentar. Como marsupial, não era relacionado a estes mamíferos placentários, mas sim devido à convergência evolutiva, o tilicino demonstrava as mesmas formas gerais e adaptações. O seu parente mais próximo é de facto o diabo-da-Tasmânia.

O tilacino era um dos dois únicos marsupiais a terem um marsúpio em ambos os sexos (o outro é a cuíca-d'água). O macho tinha uma bolsa que agia como um revestimento protector, protegendo os órgãos externos do animal enquanto este corria através da mata fechada.

Nesta pequena incursão no mundo da extinção que hoje vos apresento aqui, deseja-se algum "acordar espiritual" e ecológico da nossa parte para que este exemplo não volte a ser repetido...

O "SHE" também é um blog ecológico e preocupado com o mundo e os animais... Afinal, os animais são nossos amigos e, sem o nosso planeta e o que eles nos oferece, a nossa sobrevivência não seria possível.

4 comentários:

AC disse...

Olhar à nossa volta e não ter em conta a extinção das espécies (cada vez mais rápida) é fechar os olhos a algo que é essencial. O equilíbrio do planeta faz-se num todo, e não apenas com aquilo que, circunstancialmente, nos dá mais jeito.

Abraço

Me Hate disse...

Concordo em absoluto ainda que, por vezes esse equilibrio -de novo, interno e externo- seja bastante complexo de atingir e, ainda mais, de manter.

A ver se nos tornarmos mais conscientes com o "nosso" mundo (o interno) e com o nosso Mundo (o interno).

A ver, a ver...

Luana disse...

O que é o homem sem os animais?
Beijinhos querida..;

Me Hate disse...

Bom um homem sem os animais é só Tarzan... uma mulher é só Jane... mas a Cheetah sem qualquer um deles também seria apenas um chimpanzé! ;)

Enfim, eu e os meus macaquinhos de sotão... :D

Beijoca querida.