segunda-feira, novembro 09, 2009

Uma ideia...


Comprou o bilhete.

Deixou tudo para trás: os seus precisos livros, os seus valiosos cd´s, a roupa que mais gostava e claro, o único amigo que ainda tinha e a família com quem ainda se dava.

Deixou tudo explicado numa carta.

Sabia escrever melhor do que falar e, para mais uma conversa iria levar a questões inevitáveis para as quais não tinha resposta.

Tinha apenas na mochila aquilo que achou que seria necessário para o frio, o calor... ah e tinha umas barras energéticas, não fosse a coisa correr mal.

Comprou um daqueles mapas mundi que só tinha visto na Fnac e um de sobrevivência que um amigo, habituado aquelas andanças havia aconselhado: cogumelos a comer, cobras a não cruzar, sítios onde comer e, lá está, podendo, lugares onde beber.

Sentia-se limpa, como nova. Calçou as botas batidas para não lhe magoar os pés e vestiu tudo em algodão para não ficar cheia de alergias.

Despediu-se de uma série de pequenas coisas que sempre fizeram parte da sua vida. Olhou uma última vez para algumas fotos e, num pequeno momento, teve vontade de as levar mas, não.

Estava pronta. Abriu a porta da rua. Entregou as chaves. Despediu-se com um forte aperto de mão daquele vizinho que sempre conheceu.

Ia chamar o táxi quando se lembrou: Bolas, desliguei o gás??????