quinta-feira, outubro 22, 2009

Memoria e quem raio sou eu...


Kundera escreveu, sobre a memoria que esta "regista o que nos encantou, o que nos comoveu, o que dá beleza à nossa vida."

Se tal fosse verdade, creio que a maioria das pessoas, não gostaria de esquecer tanta coisa na sua vida - sobretudo na passada recente - como hoje, amiúde oiço muita gente comentar!


A ser verdade, o que afirmei acima, as pessoas podem até querer esquecer ao mais alto nível de memoria (a vital) mas, ao conseguir fazê-lo, estará apenas não só a adiar todos os problemas que lá se encerram como também não está a permitir que os bons momentos sejam revividos e, mais tarde, repetidos.

Como não sou diferente, alturas houve que gostava de perder memoria de algumas pessoas,
de alguns momentos,
e, como não podia deixar de ser de algumas pessoas incluídas em alguns momentos.

Dado que já o tentei fazer e apenas "me tornei numa tábua rasa" infeliz... Decidi - "amodosque" - lembrar-me apenas dos bons momentos... os infelizes, servem apenas para acender a "Red Light" e não fazer "aquele caminho" de novo...
sabem, é que descobri que a minha memória é pequena demais para se "perder" com coisas insignificantes.