terça-feira, junho 16, 2009

Ódio e Arquitectura...




Menos, na maioria das vezes, é mesmo Mais... A Unidade Industrial da Inapal Metal AutoEuropa, em Palmela, é exemplo desse ditado!

O espaço exterior é organizado em função das circulações de veículos, dos fluxos de matérias-primas e produtos acabados. A pesquisa centra-se na "pele" do edifício que se baseia na procura de um só material de revestimento (chapa metálica trapezoidal), que se adapta e uniformiza todas as situações de projecto.

O material torna-se conceito e síntese da solução. Explora-se a versatilidade do material, quanto às diferentes aplicações e orientações, chapas standartizadas quando é necessário encerrar, revestir e dobrar; chapa cortada às fatias e fixas em forma de favo de abelha quando é necessário iluminar, sombrear e ventilar, proporcionando efeitos inesperados de domesticação e humanização dos espaços sociais da unidade industrial. A linguagem da obra tem por referência a linguagem das linhas curvas do automóvel.

A simplicidade do edifício foi concebida numa combinação do extenso e complexo programa técnico interior, que é standartizado por uma pele metálica exterior contínua, com uma imagem evocativa do design automóvel, como os painéis laterais e as grelhas de radiador...

E aí está: uma fábrica de automóveis para automóveis... Hum, começo a pensar que os únicos que não têm expressão são mesmo os humanos ou então é um fascismo, mascarado de democracia... Tché... cada vez pior....

By the way: a contagem decrescente continua!