segunda-feira, julho 28, 2008

domingo, julho 27, 2008

Ódio e 7 momentos...




32 Anos de Saudade

1
A saudade é este vazio
que a vida, ao partir, deixou;
rio seco, que foi rio,
porque a água já secou...

2
A saudade, intimamente,
e devagarzinho nos rói;
é uma emoção diferente,
como uma dor que não dói.

3
A saudade atormenta-me
e pesa como uma cruz,
- é como a sombra que aumenta
quanto mais se afasta da luz...

4
A vida passa e a saudade
passa a ser a vida ausente,
- é uma vaga claridadade
um clarão de antigamente...

5
Ah, saudade se te pego
vingo-me sem compaixão:
dou-te esta cruz que carrego
sozinha, no coração!

6
Definir a eternidade é fácil,
já a defini:
é o instante de saudade
que eu vivo longe de ti.

7
Entre as folhas da lembrança
encontrei, de uma outra idade,
a verde flor da esperança
amarela... de saudade...

8
Já não há chamas... A vida
é a invisível combustão...
Saudade: brasa escondida
queimando no coração...

9
Longe do amor, quem pode amar?
Tudo é inquietude, aflição...
A saudade é falta de ar
asfixiando o coração...

10
Louca, aumento esta saudade
aqui sozinha, a sofrer,
só para poder ter vontade
de voltar, para te ver.

11
Misto de pranto e alegria,
sol e chuva, sonho e dor,
a saudade é o sol num dia
de chuva, no nosso amor...

12
No peito dos marinheiros
nasceu , cresceu, emigrou...
Mas nos porões dos "negreiros"
foi que aí que a saudade... chorou!

13
O tempo tudo desbasta
mas nem a tudo desfaz:
a saudade não se gasta
com o tempo aumenta mais!

14
Ontem, de amor tu morrias...
Hoje, já te sentes farta...
A saudades que sentias
só mata... no fim de qualquer uma carta...

15
Partiu com sonhos de glória!
Ficou com a dor e a tristeza!
Eis afinal toda a história
da saudade portuguesa!

16
Persistente e fina dor,
sombra da felicidade,
ânsia e gemido de amor,
lembrança e espera... Saudade.

17
Por meu coração já frio
uma saudade ainda passa:
- lembra apagado pavio
onde ainda há restos de fumaça...

18
Quando estás longe, querida,
na minha angústia sem fim,
saudade é o nome da vida
que morre dentro de mim...

19
Saudade boa é a que existe
na espera... que há de chegar...
Mas há uma saudade triste
que fica sempre a esperar...

20
Saudade é amor que se sente
no coração inseguro:
é amor passado, presente,
que ainda espera ter futuro...

21
Saudade é fidelidade!
e eis como a imagem se explica:
partem o amor, a amizade,
todos partem... ela fica.

22
Saudade é permanência,
algo de amor que ficou,
que, mesmo longe, na ausência,
só partiu... não se ausentou...

23
Saudade, - estranha ilusão,
que a solidão recompensa,
presença no coração
maior que a própria presença...

24
Saudade: enigma excruciante
que talvez se explique assim:
_ quanto mais te sei distante
mais te sinto junto de mim...

25
Saudade: amor, na lembrança
de quem ficou a esperar.
É uma dor difusa e mansa
que faz sofrer... e sonhar...

26
Saudade: fruto acre-doce,
vem da flor do amor que cai...
Se calor: acidulou-se...
- só dá quando o sol se vai...

27
Sem amor quem pode amar?
Tudo é inquietude, aflição...
A saudade é falta de ar
asfixiando o coração.

28
Sempre fiel e verdadeira
vigia de nossa dor,
oh saudade, companheira
dos solitários do amor...

29
Sentir saudade, não é
ser infeliz, - pensa bem,
- mais infeliz é quem nunca
sentiu saudades de alguém!

30
Vaga do mar sem espuma
ramo verde, sem botão;
noite sem lua, de bruma;
saudade no coração.

31
Vaga que vai e vem,
dolorida a rolar dentro de nós:
Saudade: vida sem vida,
canto ou soluço, sem voz...

32
Vi teu o retrato, - revivo
um velho amor que foi meu...
A saudade é um negativo
de uma foto que se perdeu...

sábado, julho 26, 2008

Ódio e 6 momentos...


Sentada quieta à beira-saudade,
Espero a hora de te abraçar,
Enquanto todos caminham imbuídos na Realidade
Que os leva tristes a nenhum lugar.
Nas asas de uma borboleta
Vejo as cores do meu sonho acordada,
Enquanto o mundo espera por quem lhe prometa
O paraíso que ainda não foi criado.
Levados pela tristeza de não saber sonhar,
Todos caminham mas só eu avanço de verdade.
Espero a hora de te abraçar,
Sentada quieta à beira-saudade.

sexta-feira, julho 25, 2008

Ódio e 5 momentos...


Não chores por me dizer Adeus
Essa tristeza entrega-a ao mar…
Embrulhada nas imagens do meu sorriso
Dos momentos da minha alegria…
Por te ver a molhar os pés nesta praia.
Percorro com o meu olhar a beira do mar,
Na esperança de encontrar quem parte
Quem me deixa sozinha na areia quente do verão
De lágrimas secas que não saem da alma,
Na minha alegria de te ter no coração.
Não chores por me dizer Adeus
Sorri porque é assim que te amo,
Deixa ficar essa imagem aqui no molhe,
O lugar dos sonhos meus quando não estás
Onde o pôr do sol tem uma mesma beleza igual à tua.

quinta-feira, julho 24, 2008

Ódio e 4 momentos...


Espera!

Não partas ainda

Quero beijar-te

Uma vez mais.

Espera!

Quero ver

O teu olhar.

Quero ver as tuas

Lágrimas rolarem

Quero ver a saudade

No teu rosto.

Espera!

Não partas ainda,

Sem mim.

Sem ti apenas há...

Espera!

quarta-feira, julho 23, 2008

Ódio e 3 momentos...


Na janela frente ao mar
Cada onda é pensar na tua volta
Cada ventania
É como se fosse o teu carinho
Há tanto ansiado
Conto o tempo como quem desfia
Rosários de mil saudades
No rochedo onde é minha casa
Vislumbro o mar
Ainda agarrada ao odor
Da nossa última noite
Sinto os ventos
Como uma fugaz lembrança
A carta
Ainda com as tuas letras
Escritas em frágil folha
Que tenho como mais a preciosa jóia
Daquilo que sou:
Sou quem aguarda
Quem ama
Quem anseia
Em mil tempos
Mil Eternidades...

terça-feira, julho 22, 2008

Ódio e 2 momentos...


A tua ausência é uma dor sem nome que me faz mergulhar num mar de incerteza.

Respiro mas o teu corpo falta-me quando o fôlego me falha..

Vivo mas sem ti dói-me o bater do coração e o pulsar do sangue nas veias.

Não quero que vás e espero que voltes ainda antes de partires.

Receio a ausência e temo o silêncio.

segunda-feira, julho 21, 2008

Ódio e 1 momento...


Num incrível momento...
Os meus olhos secaram
Já não consigo chorar,
Estou feliz porque te foste embora
Triste por não te voltar a ver
A certeza de que estás melhor
Quebra a saudade que fica.
Durante tanto tempo estivemos longe
Sonhei agora que tinhas voltado
Partiste mais uma vez!
Restam os sorrisos meigos
Os teus olhos brilhantes
O porte de quem foi feliz sendo infeliz
Por isso os meus olhos secaram
Não consegui chorar
Ficou o estômago cheio
Os nervos por não te querer aproveitar
Ficaste bem, tranquila espero
Foste encontrar alguém
Talvez te volte a ver
Quem sabe noutro dia
Serás feliz, teremos então tempo
Para trocar um olhar e finalmente
Poderemos as duas chorar.