sábado, setembro 29, 2007

Ódio Final!


Este blog vai "sair de cena"... Com alguma pena mas...
Não tendo eu o dom da ubiquidade nem da omnipresença, está na hora de me dedicar a coisas mais importantes... e deixar outras para trás!
Todos os que aqui conheci certamente compreenderão isso...
"I WONT BE BACK!"
Mais vale acabar com um Bom Ódio do que acabar com ele já moribundo!

sexta-feira, setembro 28, 2007

Ódio Diabolico e em dicionário...


Ubiquidade:
n. O dom ou poder de estar em todos os sítios ao mesmo tempo - mas não em todos os sitios e sempre, que é portanto a omnipresença, um atributo exclusivamente dado a um tipinho que se chama Deus e ao tal do éter luminoso. Esta importante distinção não era clara para a Igreja medieval, tendo isso dado origem a muita porrada e sangue entre Luteranos e Cristãos. Mais recentemente, a ubiquidade continua a não ser bem compreendida mas... isso agora também não interesa mesmo nada...
Mais vale Ódio, que remediar.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Ódio e Sugestões...


Este fim de semana namorem!
Façam surf...
Ou outra coisa ao ar livre...
Libertem-se do stress da semana dentro ou fora da cidade e sejam mais!
Mais vale Ódio, que remediar.

quarta-feira, setembro 26, 2007

Ódio e Efemérides...


Foi num dia como o de hoje que morreu Raúl Juliá.

Excelente actor, diversas vezes mal aproveitado pela indústria fantoche de Hollywood, talvez sendo vivo hoje, com as produções independentes que por aí há, tivesse tido uma carreira mais merecedora do seu talento!

O êxito nos negócios da família Júlia fez com que Raul e seus irmãos tivessem uma excelente educação.

Estudou no Colégio Espíritu Santo de Hato Rey terminou seus estudos no Colégio San Ignacio de Loyola de Rio Piedras, dirigido pelos Jesuítas. Começou seus estudos académicos na Universidade de Fordham, porém, com a morte do seu irmão num acidente de carro, resolveu terminar seus estudos na Universidade de Puerto Rico licenciando-se em Arte.

A descoberta do seu talento foi feita por mero acaso, na troca de breves palavras e de meia dúzia de copos pelo actor Orson Bean enquanto Raúl se apresentava em num bar em San Juan. Com o incentivo, Raúl mudou para Manhattan em 1964 e imediatamente conseguiu trabalhos em pequenas actuações.

Em 1966, ele passou a atuar em peças de Shakepeare, como "Rei Lear" em 1973 e "Otelo" em 1979. Raúl também participou de musicais como Dois Cavalheiros de Verona em 1971, e Príncipe dos Mendigos em 1976 (gerando mais tarde um filme) e, o premiado Nine em 1982.

O seu sucesso no teatro fez com que fosse chamado para trabalhar no cinema, onde ficou mais conhecido como o "Beijo da Mulher Aranha" (1985) e o filme de maior reconhecimento do seu trabalho que foi a "Família Addams" (1992) em que de facto, é magnifico e a "Família Addams II" (1993) .

A sua saúde fragilizou-se em 1993 na recorrência de um cancro que inicialmente foi mal diagnosticado, porém, ele continuou actuando como se nada fosse e de facto, não era, a vida ainda não tinha parado.

No dia 16 de Outubro de 1994, Raul Júlia sofreu um sério derrame cerebral, caindo num profundo coma e vindo a falecer no dia 24 de Outubro desse mesmo ano. O seu corpo foi levado à Porto Rico, onde foi enterrado.

Como lhe disse a amiga Sónia Braga na altura do seu enterro: "Estarás sempre connosco e nesse sentido, nunca morrerás!"

Mais vale Ódio, que remediar.

terça-feira, setembro 25, 2007

Ódio e Arquitectura...

Esta é a Casa de Chá “Ponte” em Pequim, imaginada e levada a cabo por LAR/Fernando Romero.
Tem uma área de 250 m2 e o custo por m2 foi de $1,000.
Fernando Romero nasceu na Cidade do México em 1971 e obteve o grau de arquitecto pela Universidad Iberoamericana. Trabalhou na OMA de Rem Koolhaas em Roterdao de 1997 a 2000. Fez parte da equipa para o projecto da Casa da Música no Porto.Em 1999 começou a sua prática independente com LCM [Laboratório Ciudad de Mexico] e em 2005 criou LAR [Laboratory of Architecture] - um atelier com "the ambition of addressing contemporary society through a process of architectural translation".
Como em todos os intervenientes ligados à produção arquitectónica, [e neste caso ao campo experimental], no trabalho de Romero cruzam-se várias referências conceptuais. Das óbvias de Koolhaas e Aero Saarinen mas também Oscar Niemeyer ou Lars Spuybroek. Tem ainda no seu currículo um conjunto de publicações dedicadas à investigação de carácter territorial/social.
Um arquitecto a não perder de vista e se estiverem desempregados, candidatem-se ao escritório já aqui: LAR / FERNANDO ROMERO
Mais vale Ódio, que remediar.

segunda-feira, setembro 24, 2007

Ódio Musical passado... Jacques Brel - Ne me quittes pas.

Saudade

Sinto um aperto no peito,
Uma vontade de ir de encontro ao vento,
Querer ver-te,
Querer tocar-te,
Querer sentir-te,
Querer explorar-te,
A pele,
A fala,
O olhar,
Mas não posso, estás longe...
Sempre ausente,
Ou simplesmente,
Noutros braços,
E tudo isto
Forma uma tempestade
De sentidos,
E de vontades,
Que magoa,
Que fere,
Que arde,
Que dói,
É mais ou menos assim
A dor da Saudade!

M. Hate

sexta-feira, setembro 21, 2007

Ódio Diabolico e em dicionário...


Álcool:
n. (do árabe al kohl, uma tinta para os olhos). Principio essencial de todos os líquidos que fazem o homem ficar com um olho negro...
Ou então, com um sorriso "à Joker"...
Enfim... uma banda desenhada!
Mais vale Ódio vivo do que Ódio morto.

quinta-feira, setembro 20, 2007

Ódio e sugestões...




Para uma proposta diferente num fim-de-semana, que pelo menos para mim vai ser diferente, porque passarem pelo Atelier da Ana Oliveira e Costa e aprenderem uma forma diferente de estar na vida e acima de tudo, se exprimirem na vida... a surpresa está quando lá se chega... quem for adepto de novidades, passe por lá, será sempre bem recebido!


A transcendência encontra-se na seguinte morada: Rua José Pedro da Silva, nº 16 A, Paço de Arcos... Não é fácil dar com a morada mas... conhecem alguma coisa agradável que seja fácil?????



E, para os amantes de cinema a não perder " A minha vida sem Mim", um drama (como não podia deixar de ser) que aborda a vida de uma jovem de 23 anos com uma existência deprimente, toma conhecimento de que têm apenas dois meses de vida. Mantendo a sua condição secreta vai utilizar o tempo que lhe resta para completar uma série de tarefas, com uma coragem que desconhecia possuir.
Quantos de nós não haveríamos de pensar nisso se de facto, essa fosse a nossa realidade?
Em exibição no: Cinema Quarteto - Sala 2
Sessões: de 2007/09/20 até 2007/09/2619h. Endereço: Rua Flores do Lima, 16, 1700-196 Lisboa
Mais vale Ódio vivo do que Ódio morto.

quarta-feira, setembro 19, 2007

Ódio e Efemérides...


Foi num dia como o de hoje que morreu Etienne Gilson, recordo de termos dado na secundário as algumas das suas obras, da infinita discussão acerca de Deus, do Homem e das suas (ambos) funções...


O o eminente filósofo católico tem talvez no seu livro "Deus e a filosofia" a sua melhor obra em que espantosos problemas metafísicos são abordados de forma excelente. No livro fala-nos acerca da forma como nos livraria a relação entre a nossa noção Deus e a Filosofia de Deus e as demonstrações da sua existência.


Gilson, além disso, examina a filosofia Grega, Cristã entretanto e moderna.


Ainda que sendo confessa admiradora de Kierkegaar, Étienne foi premiado pelo seu pensamento que brotou a partir sucesso da nossa era da ciência dentro do conceito de Deus e da Filosofia em que há análise fundamental do problema de Deus.


Para arrematar: Deus morreu faz tempo! Não acredito, nunca acreditei e não me crê que na velhice decrépita venha a acreditar... Acredito nos outros... vezes demais! Acredito em mim... vezes de menos! Acima de tudo, acredito que melhores dias virão... Caramba! Vêem sempre!


Mais vale Ódio vivo do que Ódio morto.

terça-feira, setembro 18, 2007

Ódio e Cultura...


O Projecto Livre Circulação/Toll Free representa o território da mobilidade, uma geografia nascida da viagem e do encontro. A iniciativa partiu do Ministério da Economia e da Inovação que, em conjunto com o Turismo de Portugal, a Fundação de Serralves e o CAV (Centro de Artes Visuais de Coimbra) promove um programa de viagem pela costa algarvia, levando a cultura contemporânea a cidades como Faro, Lagos e Loulé.
“Arquitectos Europeus em Trânsito” é a exposição de arquitectura integrada no evento que se encontra, até final de Setembro, em Faro, na Antiga Fábrica da Cerveja. Comissariada por Luís Tavares Pereira, a exposição explora o território europeu através de 36 projectos que reflectem um espaço de partilha no campo da arquitectura em que as referências locais se cruzam e acumulam num contexto de ‘livre circulação’.
A visitar!
Mais vale Ódio vivo do que Ódio morto.

segunda-feira, setembro 17, 2007

Ódio Musical passado... Massive Attack - Angel

Digam que é mentira...

Digam que foi mentira, que não sou ninguém,
que atravesso apenas ruas da cidade abandonada
fechada como boca onde não encontro nada:
não encontro respostas para tudo o que pergunto nem
na verdade pergunto coisas por aí além
Eu não vivi ali em tempo algum

R. Belo

sexta-feira, setembro 14, 2007

Ódio diabolico e em dicionário...


Admitir:
v.t. Confessar. Admitirmos os erros uns dos outros é o mais alto dever imposto pelo nosso amor à verdade.
Ainda que nem sempre seja garantido que, o fazendo o outro nos compreenda e... Perdoe!
O Ódio privado será publico ainda esta semana... e daí, talvez não!

quinta-feira, setembro 13, 2007

Ódio e Sugestões...



Para este fim de semana proponho uma "olhadela" (mas só mesmo isso) na exposição de Sérgio Pombo.


Não gosto particularmente dos seus trabalhos mas, supostamente o mundo da arte e os "conhecedores" da mesma dizem que o rapaz é um verdadeiro artista (da rádio, tv, disco e cassete pirata... faltou isso)... e ainda falam dos quadros que eu faço... ai "mê deus"!


A sua obra, dizem, é representada em diversas colecções públicas e privadas, situa-se na, por vezes ténue, fronteira entre o desenho e a pintura e entre o figurativo e o abstracto.


Pode ser visto já no Convento das Mónicas, que fica (estranho!) na Travessa das Mónicas... O Convento contudo é mais interessante
E... a outra proposta para dia 17 (que estarei de férias) os AMAZING Massive Attack!!!!!
Terei de tecer mais comentários?
Estou lá e certamente que, no fim da noite só irei ter pena da mesma ter acabado...
Para saberem mais sobre a banda: www.massiveattack.co.uk.
O Ódio privado será publico ainda esta semana... e daí, talvez não!

quarta-feira, setembro 12, 2007

Ódio e Efemérides...

Andronikos I Komnenos foi um imperador Bizantino que já no século XVII percebia muito de poder e sobretudo dos ditos, "jogos de poder"... Errou ao querer exterminar a aristocracia, que segundo o próprio corroíam as estruturas ético morais de toda a Bizancio, as coisas não correram conforme o planeado de tal forma que teve de se refugiar em Hagia Sophia.
A dita "sabedoria" do imperador levou a que fosse enforcado Hipódromo de Constantinopla.
Antes do fim algo trágico, no seu curto reinado ainda conseguiu banir o feudalismo e limitar o poder dos nobres. O seu maior problema foi talvez, depois, levar todas as suas leis a um limite que só poderia terminar em revolta... Endoidou e acabou por matar umas centenas de pessoas e, incitar de vez, à revolta de diversas pessoas e grupos.
Enfim... será caso para dizer Androkinos: cá se fazem, amigo, cá se pagam!
O Ódio privado será publico ainda esta semana... e daí, talvez não!

terça-feira, setembro 11, 2007

Ódio e Arquitectura...


Este é o projectado Terminal Marítimo de Yokohama.
Realizado pela FOA – Foreign Office Architects que neste caso incluem Farshid Moussavi e Alejandro Zaera Polo.
Não é só um terminal, é ao mesmo tempo um local onde se realizam exposições, onde há várias salas de teatro, restaurantes... e até, alfandegas. O terminal é um mundo por si só.
Custou 23 milhões de Ienes ao Japão mas, a reorganização da zona valeu a pena: é uma construção que tem capacidade para 53.000 de pessoas.
Completado em 2002, as gentes de Yokohama, parecem agradecer.
Se puderem vejam outros projectos já aqui: http://www.f-o-a.net/
O Ódio privado será publico ainda esta semana... E daí, talvez não!

segunda-feira, setembro 10, 2007

Ódio musical passado... Sarah MacLachlan - Afterglow

Quando tu vens ao meu encontro
sorrindo

Rosa precipitada
antigo Mar Vermelho
meu coração
abre-se

A. Hatherly

sexta-feira, setembro 07, 2007

Ódio Diabólico e em dicionário...


Adorável:
adj. Aquele que deveria ser digno de adoração e encantador mas que... nem sempre o é por causa de coisas tão estranhas como a junção dos astros, o azar e... a pura estupidez!
O Ódio que agora parece privado será publico em breve de novo!

quinta-feira, setembro 06, 2007

Ódio e Sugestões...


Para quem gosta e, uma vez que estes não vou MESMO querer ouvir... Proponho uma ida ao Chapitô. É gratuito mas já sei que nos dias 7, 8, 14, 15, 21, 22, 28, 29 Setembro por volta das 22h, não me apanham lá... Eu gosto sobretudo do silêncio que por vezes lá passa e esta-me a parecer que isso vai ser um pouco impossível nestes dias...
Quem lá vá, às sextas e Sábados pode sempre contar, todas as noites com o fadista Hélder Moutinho que actua neste espaço e convida colegas e amigos para o acompanhar.
Certo: Vemo-nos no DOMINGO!



Para este fim-de-semana que se aproxima com um calor por vezes chato... proponho poesia à beira mar ou na serra...




Han-Shan foi um poeta chinês que viveu provavelmente no séc VII. São-lhe atribuídos 311 poemas, estando o seu nome associado ao budismo Chan (Zen em japonês).


Frequentemente representado andrajoso, foi de certo modo um “hippie” do seu tempo, personificando uma outra maneira de viver e marcando profundamente a “geração beat” dos anos 50, nomeadamente Kerouac.A presente edição contém, para cada poema, uma caligrafia e uma versão em caracteres chineses modernos, bem como uma tradução literal e uma versão poética de Ana Hatherly.


O conjunto, de extraordinária beleza visual, revela uma poesia de extrema depuração, sabedoria e profundidade que contempla temas eternos: o significado da existência, a relação do homem com a natureza, a morte e a inelutável passagem do tempo.


O Ódio que agora parece privado será publico em breve de novo!

quarta-feira, setembro 05, 2007

Ódio e Efemérides...


Foi num dia como este que morreu a Madre Teresa de Calcutá.
Nascida Agnes Gonxha Bojaxhiu (compreende-se que Madre seja mais fácil de dizer), tornou-se missionária muito jovem e deixa logo na Albânia (onde nasce) algum trabalho feito mas, foi ao ir para Calcutá e ao fundar em 1946 as "Missionaries of Charity" é que se o seu trabalho se torna conhecido.
Em 1979 ganha o Nobel da Paz por todo um trabalho relacionado com missões à volta do Mundo, ajudou em Chernobyl aquando do desastre, na Etiópia, na Arménia, na Palestina, tendo-se estabelecido inclusive uma missão no Bronx (EUA).
Mas talvez o mais interessante acerca da Madre Teresa só hoje seja conhecido... A Madre Teresa teve duvidas acerca da sua fé pelo menos durante 50 anos dos seus 87 anos de vida...
E se até ela teve... o que dizer de nós?????
O Ódio que agora parece privado será publico em breve de novo!

terça-feira, setembro 04, 2007

Ódio e Arte...


Terá sido Hiroshi Sugimoto que terá dito: "O conceito de tempo é uma ideia muito abstracta. Acho que, nos seres humanos, o sentido do tempo se desenvolveu ao mesmo tempo que a linguagem e aprisionou-os quando a memória se formou no cérebro humano."
É um pouco desse conceito que Susana Anágua quer transmitir quando faz e nos apresenta os seus trabalhos...
Isso será talvez mais visível ainda nos seus últimos trabalhos que intitulou de "Leveza do movimento" as suas obras artísticas podem usar diferentes materiais e técnicas para criar objectos e instalações que exploram mecanismos, fenómenos e questões do campo da física, do mundo natural, da ciência e da indústria.
Licenciada em Artes Plásticas (ESAD, Caldas da Rainha) e tendo frequentado o Centro de Arte e Comunicação Visual – Ar.Co, em Lisboa. Tem em 2005 na iniciativa “Sete artistas ao décimo mês” a sua segunda experiência na Fundação Calouste Gulbenkian e, até ao momento, realizou três exposições individuais. A primeira, em 2004, intitulava-se “Esferas” e as seguintes, ambas realizadas na galeria Presença, chamaram-se “Natureza Mecânica, Episódio 2: A Desorientação”.
A sua apresentação desenvolveu-se em duas partes, no Porto e em Lisboa, estando esta patente até 9 de Setembro. A mais recente série de trabalhos de Susana Anágua fazem igualmente parte integrante da exposição colectiva “Sines Local” no Centro Cultural Emmerico Nunes. Esta mostra que se realiza no âmbito da 10.ª edição de Verão Arte Contemporânea Sines 2007, estará aberta até 15 de Setembro. Se poderem e por lá estiverem a passar férias: não percam.
O Ódio que agora parece privado será publico em breve de novo!

segunda-feira, setembro 03, 2007

Ódio musical passado... Live with me - Massive Attack

O mundo é grande

O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar.


C. Drummond de Andrade