quinta-feira, agosto 23, 2007

Ódio on hold... parte III


Sim... tinhas razão!
Os dias vão começar a ser assim!
Sem ódio, sem perseguições, sem telefonemas, sem mails, sem cartas ou mensagens... assim apenas: com risos e boa disposição.
Com descanso numa tal sombra de uma tal beira de uma árvore, assim, simplesmente contigo encostada a mim: eu a ler e tu a dormitares... A ouvirmos (se conseguirmos) esta musica do Ruffus...

A paz está a chegar e com ela os dias assim: Obrigada!

segunda-feira, agosto 20, 2007

Ódio on hold... parte II


Ao contrário do que seria de esperar estarei mais uma semana de férias... parto hoje e aproveito para fazer algo que na semana passada sinto, não tive tempo de fazer: reflectir!
Vou aproveitar para cogitar um pouco acerca desta coisa a que, comicamente apelidam de vida e para raciocionar um ou dois minutos acerca deste blog e: se valerá a pena continuá-lo...
Este espaço começou com duas pessoas, hoje só tem uma, tinha como intuito brincarmos com os "nossos" pequenos ódios que íamos tendo daquilo que nos ia sucedendo no local de trabalho e depois, como a "acabou" abruptamente, tornou-se uma especie de "gadget foolish" e agora nestes ultimos tempos transformou-se num "5 dias: deixa lá ver o que se pode fazer"! Houve uma altura em que me ria sempre que fazia um novo post, e hoje começa a ser uma quase obrigação e já não riu assim tanto, é verdade que no inicio os comentadores eram verdadeiramente menos interessantes mas, na verdade também outros que se foram perdendo... ou decidiram que não valeria a pena por aqui "pairarem"...
A semana passada foi "rica" em acontecimentos... em qualquer um dos campos sinto que perdi ou que me perdi... "either way, the hollow just get´s bigger every day, and that would be quite ok, if only i wasn´t so human, and a little bit more gay"!
Enfim, já sabemos: que nem tudo faz sentido na vida... Muitas vezes, aliás, não faz!
Agosto há muito que deixou de ser aquilo que era e já nada se recorda com prazer...
A todos que estão de férias, um bom continuar das mesmas, a todos os que não estão e vão, que elas sejam prazenteiras e, aos que já as tiveram... Um bom continuar de trabalho.
Um: até já, ou até um dia destes...

sábado, agosto 11, 2007

Ódio on hold...



Decidi há ultima da hora tirar esta próxima semana de férias... Parto segunda, de mochila às costas, à boleia, porque quero quebrar com um maldição que tem daqui a pouco 1 ano em que me lixam sempre as férias de Agosto... eu fico sempre sem planos e, normalmente quem marca coisas comigo "deixa-me pendurada" mas acaba por estar com quem quer e fazer o que lhe apetece...
Portanto: Maldição cortada!!!!!!
Portanto, next week I´m:



Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra... E já agora do Ódio calado.

sexta-feira, agosto 10, 2007

Ódio Diabolico e em dicionário...


Adorar:
v.t. Venerar com expectativas.
  1. A quem já demos esperança baseada em supostos direitos, probabilidades ou promessas?????
  2. E a quem nos falta dar tudo isso??????
Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra... E já agora do Ódio calado.

quinta-feira, agosto 09, 2007

Ódio e Sugestões...



Ontem jantou-se inesperadamente sushi... e para este fim de semana também proponho algo de imprevisto, lamento, mas não irei sugerir livros, teatros, exposições e outros...


Este fim-de-semana recomendo fortemente o sol na Adraga, almoço na Ericeira e descanso na relva de um jardim qualquer para sábado... regresso a Lisboa apenas no dia seguinte para se poder beber um copo sem pressas no Ericeira Surf Club e podermos dissertar à vontade acerca das coisas mais sérias e as mais tolas, no alpendre de uma qualquer casa de pescadores da zona... E aproveitar ainda um pouco do cheiro da maresia para ter uma ultima inspiração de paz...


E no domingo, poder-se-ia chamar-lhe "Nectar des Dieux" mas na verdade não é assim que o Bistrôt se chama... vamos fazer então a despedida de um dos sítios mais cool para se estar a ler um livro, a beber um copo de vinho e a aprender algo, que quase já tinha olvidado: a beleza da língua francesa... Ça va, trés bien!
Voltamos em breve...
Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra... E já agora do Ódio calado.

quarta-feira, agosto 08, 2007

Ódio e Efemérides...


Morreu num dia como o de hoje Monica Sjöö.
Escritora e pintora sueca que se tornou numa das principais influências do Goddess movement.
Foi activista em muitas situações como foi o caso da Guerra do Vietname e ícone em muitos dos movimentos anarquistas suecos. Viveu, assim, uma vida plena até à altura em assistiu à infelicidade de ver os seus dois filhos morrerem: um de 15 anos vitima de atropelamento à saída de sua casa e o outro mais velho de cancro, em seus braços...
Estes dois factores, obviamente, vieram a influenciar tremendamente o seu trabalho que acaba por seu pautado de uma constante e extrema dor e solidão... Não torna porém, a sua obra sombria, denota-se-lhe uma crença diferente naquilo que depois começa a sentir como Mundo e do que está para lá de si e, em alguns desses quadros essa abrangência invade-nos entre a tal dor e o espanto. Claro que, maioria das suas obras o mais está explicito é o movimento hippie da época que havia notamos referências à mulher, ao cosmos, à natureza e à paz espiritual...
Monica acabaria por morrer em 2005 de cancro, referindo dias antes que isso
"É apenas uma forma de se fechar o circulo!"
Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra... E já agora do Ódio calado.

terça-feira, agosto 07, 2007

Ódio e arquitectura...

(Volkswagen/GTI )


(Tea Set)


(Wallpaper)


(HairWood Project)
A equipa constituida por Mark Eley and Wakako Kishimoto mais conhecidos por Eley Kishimoto enquanto equipa, fizeram um longo percurso desde o seu tempo em que faziam design de têxteis.
Começaram então nos fins da década de 90, a evoluir para a criação de outros objectos, desde os acima descritos bules e chavenas de chá, a papel de parede e até VolKswagen´s que mais parecem Smart´s ForFour, acabando nos projectos de arquitectura em que destaco este magnifico Hairwood Project.
O Hairwood Project tem a colaboração de 6 arquitectos que têm como objectivo o de criarem em conjunto com a Eley Kishimoto lugares onde a vivência calma se confunde com a cidade, sendo disso exemplo a Torre de 6 metros e meio que aqui apresento na última foto. Foi essa mesma torre que fez com que ganhassem no fim do ano passado a "Outstanding Achievement in Environmental Design" nos Premios D and AD Global.
É de facto, uma delicia surreal para uma arquitectura que se quer real...
Par mais informações: http://www.eleykishimoto.com/
Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra... E já agora do Ódio calado.

segunda-feira, agosto 06, 2007

Ódio musical passado... Rufus Wainwright

...

Quis-te tanto que gostei de mim!
Tu eras a que não serás sem mim!
Vivias de eu viver em ti
e mataste a vida que te dei
por não seres como eu te queria.
Eu vivia em ti o que eu em ti eu via.
E aquela que não será sem mim
tu viste-a como eu
e talvez para ti também
a única mulher que eu vi!

A. Negreiros

sexta-feira, agosto 03, 2007

Ódio em versão de Diabolica e em dicionário...


Admitir:


v.t. Confessar. Admitirmos os nossos erros uns dos outros é o mais alto dever imposto pelo nosso amor à verdade.


Então... porque mentimos por coisas tão pequenas????

Hum... ... ...


O Ódio é de prata e o silêncio é de ouro.

quinta-feira, agosto 02, 2007

Ódio e Sugestões...

Não sei se os leitores, são fãs de Jazz, eu não fui durante anos, até ao dia que conheci o Luis Vilas-Boas no Hot Club e ele me explicou tudo "tim-tim por tim-tim"... estava com uns amigos que o conheciam de longa data (eram mais velhos do que eu) e de facto a experiência daquela noite e toda a agradável conversa quase que se desvanecia da minha memoria não fosse ter sido convidada para este sábado ouvir por volta das 21:30 no Anfiteatro ao Ar Livre da Gulbenkian os Nik.
Dizem eles ("my so called friends") que o quinteto suiço NIK BÄRTSCH’S RONIN produz um género de agitação quase insustentável de tão bom que é. Tecem mais uns elogios eruditos dizendo que as suas músicas mais subversivas são também as mais aprazíveis... Ora dito isto, não poderia faltar...
Lá para Setembro (dia 20) proponho outro tipo de musica com L´Orpheu no Mosteiro dos Jerónimos. Esta poderosa opera está incluída no Festival Rota dos Monumentos no sentido de celebrar os 400 anos da primeira ópera da história. Mas nessa altura teremos mais tempo para falarmos disso...




Porém, se para os leitores, jazz não é coisa que se oiça mesmo quando os elogios são rasgados, então proponho este fantástico "Odor de Sangue" que irá dar também dia 04, apenas no Nimas às 14h, 16h30, 19h e 21h30.
Reconhecido e assumido que está o meu platónico amor por Fanny Ardant este filme vale pela sua interpretação mas é meritório também, pelo enredo, julgo. A ver então:
"Carlo partilha um apartamento em Roma com Silvia no bairro fino de Parioli sem esconder a sua relação com Lu, que alberga na sua casa de campo. Carlo aceita que Silvia possa ser cortejada por outros homens, mas o aparecimento de um jovem misterioso e violento que seduz Silvia complica o que parecia simples. Carlo fica obcecado em descobrir mais sobre esta nova relação e acaba por descarregar a sua angústia em Lu, transtornando a relação entre os dois."
  • REPTO: Agora sim, depois de tantos pedidos directos e indirectos que alguns de vós foram fazendo nos comments para se falar acerca do assunto, eis a oportunidade que, com esta introdução a TODOS poderá facilitar (ou não) uma dissertação acerca do amor, da fidelidade, do que é estar numa relação... Vamos lá minha gente, quero ouvir essas opiniões... sustentadas em argumentos dignos se fazem o favor!

O Ódio é de prata e o silêncio é de ouro.

quarta-feira, agosto 01, 2007

Ódio e Efemérides...



Por sinal, a pedido de muitas famílias que tanto gostam de mortes e de ter pena de quem morre, fica aqui a efeméride de hoje... que até aconteceu há relativamente pouco tempo...
Bob Thaves, morreu num dia como o de hoje exactamente há 1 ano.
Para quem como eu, gosta de cartoons, mangas ou comics, esta eventualmente foi uma perda nesse âmbito (e para os familiares também... julgo...).
Adiante. Bob começou a desenvolver o seu gosto pelo cartoon desde criança, de tal forma, que em vez de estudar as (bem chatas) matérias do ciclo, muitas vezes estuda sim, mas os cartoons de outros autores. Entre o que copiava e o que acrescentava, criou um estilo próprio.
Os pais que, certamente não queriam que o pobre Bob passasse fome, a dada altura ter-lhe-ão dito: "Filho, desenhas bem mas, isso não te põe comida na boca!". Certamente também ele, preocupado com o tal dito "comeri", optou por tirar uma licenciatura em Psicologia... Erro crasso! Começou então, a fazer psicologia organizacional numa empresa mais tarde mas, desde cedo o "bichinho" do desenho o impeliu para manter a arte e a criatividade no seu dia-a-dia.
Os cartoons "Frank and Ernest" foram os primeiros a surgir no inicio dos anos 60. E tiveram um sucesso tal que acaba por abandonar psicologia (como eu o compreendo) e inclusive o seu filho Tom, começa a colaborar com ele em 1997, fazendo disso também, profissão única.
Bob verifica entretanto que o filho herdou o seu jeito mas mais, conseguiu ultrapassa-lo em alguns níveis e decide, passar-lhe o testemunho pouco antes de morrer com 81 anos.
Tom mantém ainda hoje, vivo o espírito do pai mas, mais importante, deu "às tiras" de "Frank and Ernest" algo que o seu pai nunca deu: um sentido único de humor que vai para lá, do banalmente cómico!
O Ódio é de prata e o silêncio é de ouro.